Fórmula sinopense que ganhou o mundo

IMPLEMENTO AGRICOLA PROJEADO E PRODUZIDO EM SINOP ESRA SENDO UTILIZADO PARA O PREPARA DO SOLO EM LAVOURAS DA ASIA E DA AFRICA, ALEM DE VARIOS ESTADOS BRASILEIROS, PRINCIPALMENTE NO TOCANTIS, SUPERANDO EM EFICIENCIA OS SIMILARES PRODUZIDOS NA EUROPA.

 

É IMPOSSÍVEL FALAR DO POTENCIAL INDUSTRIAL DE Sinop sem fazer menção a Perfisa – Perfilados da Amazônia. A empresa fundada em 1988 é uma das pioneiras na comercialização e transformação do ferro e aço no Norte de Mato Grosso. Mas o que torna essa indústria uma das referências não é o que tem de velho, e sim o que trouxe de novo.

 

Foi dentro das paredes da unidade pérfida, em Sinop, que se concebeu o projeto do enleirador de raízes girassol. O implemento agrícola inovador mecanizou o processo de limpeza dos solos, preparando para o plantio. Até então esse serviço era exclusivamente manual. “ Era um período de abertura de áreas no norte de mato grosso. Os produtores precisavam retirar as raízes e tocos que ficavam no solo após a abertura. O Girassol foi projetado e fabricado para atender a esta demanda”, lembra o diretor administrativo Perfisa, UDO PIOTROWSKY.

 

Perfis que detem a propriedade intelectual do produto. A fabricação é feita 100% em Sinop e aproximadamente 80% de toda a estrutura é produzida dentro da Perfisa. A exceção são alguns componentes, como os pneus. As primeiras unidades começaram a ser fabricadas em 2004. No dia que a reportagem da Revista Noticia esteve na indústria, estava sendo finalizada a montagem do girassol úmero de 377.

 

Aperfeiçoado a adaptado conforme a necessidade de cada região. Hoje ele é empregado no processo de abertura de áreas de pastagens degradadas ou em solos rochosos, para remoção de pedras. Sempre com um bom desempenho”, ressalta o empresário.

 

Aplicação que tem impulsionada a expansão da nova fronteira agrícola brasileira conhecida como “MATOPIBA”, por estar situada nos estados de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. É nesse triangulo de chapadões que estão sendo transformados em lavouras de soja que se concentra mais da metade de enseiradores produzidos pela Perfisa. O equipamento, devidamente adaptado pela empresa, é utilizado para a remoção de pedras. ” O implemento similar para remoção de pedras nas áreas de plantio, de origem espanhola, tem um rendimento de 3 hectares, ou seja, 5 vezes mais rápido”, revela o sócio proprietário da Perfisa, Erno Reschke.

 

Além de vencer o concorrente ‘gringo’ em solo nacional, o Girassol também rompeu a barreira do mercado interno. O enleirador produzido em Sinop já foi exportado para 2 continentes - Ásia e África. O próximo passo deve ser o Canadá. O Girassol surge como uma solução para recolher os resíduos que ficam no solo após o derretimento da neve, “para atender esse mercado, que é mais exigente e possui características distintas, teremos que fazer adaptação aos produtos. Ainda é cedo mas existem um potencial para o uso desse equipamento no mercado Norte Americano”, revela UDO.

 

Enquanto mira o mercado externo, Perfisa também se prepara para o mercado interno. UDO credita que a inversão do eixo logístico, que a viabilidade de escoar a produção agrícola para o Norte, desencadeará uma nova fase de expansão nas áreas destinadas produção de grãos. “Todo esse potencial que mato grosso representa na agricultura está em apenas 7% do território, que é o que correspondem as áreas de lavoura. Estima-se que 20% do Estado seja em áreas de pastagens degradas. Se apenas um quarto disso for convertido em lavouras, a produção agrícola quase dobra.

 

Apostamos nisso e queremos estar aqui para das o suporte necessário a esse crescimento”, enfatiza o empresário.

 

O Enleirador de Raízes modelo GIRASSOL é fabricado com chassi reforçado. O implemento mede 9 metros de comprimento é composto de 7 rosetas de 1,40 metro de diâmetro, com 20 dentes triplos, regulável conforme as condições da área, o maquinário tem rendimento de 3,00 a 3,20 metros por passada ele pesa 3,5 toneladas pode ser rebocado com um trator simples, a parir de 100 cavalos.

 

Em áreas já gradeadas, o equipamento enleira todos os resíduos que estiverem soltos sobre a superfície e até 10 cm baixo do solo. O equipamento é robusto. O sistema de molas especais articuladas resistem às raízes fixas no solo. O hidráulico do trator é usado somente para suspender as rosetas em manobras. O restant3e do funcionamento do enleirador é por arrasto.

 

Produtores rurais que utilizam o implemento registraram uma média de desempenho no enleiramento de raízes e tocos, na ordem de 25 a 30 hectares por dia de trabalho (jornada de 10 horas). Com o implemento, a redução de  mão de obra contabilizada foi de 70%.

Essa é a formula, genuinamente sinopense, concebida no berço industrial local, e que está ajudando o mundo a produzir.